Após um temporal ter devastado boa parte de Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro, matando 120 pessoas e com 116 ainda desaparecidas em números oficiais confirmados até a publicação desta matéria, igrejas resolveram se mobilizar para criar uma verdadeira rede de acolhimento das vítimas da tragédia.

Várias denominações também foram afetadas pelas chuvas, sendo inundadas, felizmente obtendo apenas prejuízos materiais. Uma delas é a do presidente do Conselho dos Ministros Evangélico do Município de Petrópolis (Comempe), Pr. Carlos Carnavalli.

“Estamos trabalhando na limpeza da nossa igreja, que foi muito afetada. Tivemos perdas materiais, mas graças a Deus não humanas”, disse ele ao site Guiame, explicando que apesar dos danos sofridos no templo da sua igreja, ela também participará da mobilização para o socorro das vítimas.

“Também estamos nos mobilizando e agora o primeiro passo é limpar a igreja para se tornar um QG de ajuda às pessoas”, disse Carvanalli, que lidera a Igreja Batista de Corrêas. Ele contou que outros pastores entraram em contato, afirmando que veículos estão se dirigindo aos locais mais afetados com carregamento de suprimentos.

“Precisamos muito de água potável, a cidade não tem água potável suficiente”, diz Carvanalli. Alimentos não perecíveis e produtos de higiene também são necessários. A intenção é transformar os templos em centros de acolhimento e distribuição.

Pastor da Igreja Batista da Esperança no bairro São Sebastião, Sidnei Xavier contou que muitos ministérios começam a ajudar Petrópolis. Ele contou que sua igreja não foi atingida, mas muitas casas no entorno do bairro sofreram com quedas de barreiras.

“Graças a Deus as doações estão chegando. Muita gente está ajudando. Estou aqui assessorando um grupo da Cristolândia de São Gonçalo que chegou para nos ajudar na remoção de uma barreira que está interditando o caminho de algumas pessoas”, contou.

Segundo o pastor, existem pontos de deslizamentos grandes e vários outros menores que estão causando muito transtorno a muitas famílias. “Estamos mobilizando pessoas para ajudar nessas demandas menores, mas que para uma ou duas famílias são muito grandes”, disse.

Voluntários da Ação Solidária Adventista (ASA) também estão atuam em Petrópolis arrecadando mantimentos, roupas, água, itens de higiene, entre outros itens de necessidade emergencial. Um grupo de mulheres adventistas se uniu e montou kits de higiene pessoal para doar.

Fiéis limpam Igreja Batista de Corrêas, fortemente atingida pelo temporal em Petrópolis. (Foto: Pr. Carlos Carnavalli)
Fiéis limpam Igreja Batista de Corrêas, fortemente atingida pelo temporal em Petrópolis. (Foto: Pr. Carlos Carnavalli)

Até o momento, 140 pessoas ainda estão desaparecidas no rastro de destruição deixado pelas águas das chuvas que arrastaram desde veículos pequenos até os mais pesados, como ônibus. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o governo pediu prioridade no atendimento das vítimas.

“O presidente Bolsonaro falou comigo, desde ontem [16]. Pediu que eu estivesse aqui, em Petrópolis, para prestar toda assistência à população, e o que o ministério pudesse fazer alocação imediata de recursos. Isso fosse feito”, disse ele na na quinta-feira (16), segundo a EBC.

Além da Saúde, militares das três Forças Armadas estão auxiliando no resgate das vítimas e na logística de reconstrução de Petrópolis, junto aos ministérios da Infraestrutura e do Desenvolvimento, tudo em cooperação com as equipes do governo estadual.

A Caixa Econômica também determinou o envio de um caminhão-agência e equipe de especialistas nas áreas de Habitação, Governo e FGTS, a fim de auxiliar a população na parte financeira através de medidas como a liberação do Saque Calamidade do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

Com o apoio das igrejas, a expectativa é que centenas, talvez milhares de pessoas sejam beneficiadas com donativos, suporte humano e até espiritual.

AJUDE PETRÓPOLIS

Para quem deseja ajudar as vítimas da tragédia em Petrópolis, um dos pontos de arrecadação é a Igreja Batista de Corrêas, que fica na Est. União e Indústria, 3.016 – WhatsApp: (24) 2221-1740.

A ONG Rio de Paz também está fazendo campanha de arrecadação para as vítimas das chuvas em Petrópolis.

Fonte: Gospel,Guia-me

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.