São pequenos milagres diários que se combinam e permitem a nós mais um dia de vida antes do minuto final de cada um de nós.

Por esses dias fui renovar minha habilitação. Aqui em são Paulo tem o Poupatempo e, nesses tempos pandêmicos, tal serviço precisa ser agendado.

Tentei insistentemente pelo site, nada. Então fui até o presencial e agendei. Tudo certo, dia e hora marcados. O atendente me tranquilizou, uma vez agendado é tranquilo, basta comparecer no dia e hora marcados para ser atendido sem nenhuma complicação. Fiquei grato pela organização.

Chegou dia. Fui. Cheguei uns vinte minutos antes. De cara, me assustei, nunca vi tanta gente no Poupa Tempo, mas estava tranquilo, tinha meu horário agendado. Mas logo minha tranquilidade acabaria, dezenas de pessoas estavam agendadas no mesmo horário que eu, os demais horários, antes do meu, já estavam acumulados e atrasados com pessoas aguardando a horas para serem atendidas. Decepcionado, frustrado, entrei numa fila de tamanho impensável, segurei minha senha e fiquei aguardando, muito, bastante… tempo.

Foi então que pensei nos milagres que aguardo. E só aguardo porque tenho fé no Único que pode realizar milagres. Olho a minha volta e constato, a fila é imensa, tem milhares de pessoas como eu, com a senha na mão, com fé no coração, ali, nas filas da vida, ansiosamente aguardando sua hora chegar, o atendente do céu chamar, o milagre finalmente acontecer. Como padrão, sobre os milagres, o que temos é a longa espera, a falta de sinais, os dramas que se enfrenta enquanto se aguarda. Existem exceções, no geral, porém, o padrão é esse.

Mário Quintana, poeta e escritor que admiro e respeito, afirmava que o grande milagre eram existir pessoas que acreditavam em milagres, para decepção dele, faço parte dos milhares que acreditam. Décadas depois da minha conversão, hoje acredito pelo que já vi e não simplesmente pelo que apenas ouvi ou li. Milhares ao redor do mundo dão testemunho igualmente dos milagres que já receberam, viram e testemunharam.

“Quando se crê, milagres são reais!…”, cantava um trecho de uma das músicas do desenho produzido por Spielberg, O Príncipe do Egito. Este é um tempo de grandes pressões, de riscos limites, de tensões esmagadoras, portanto este é um tempo de multidões a espera de um milagre. Milhares estão na fila, clamando, orando, jejuando, suportando, lutando, renovando forças, fé e esperança a fim de conseguir continuar esperando o tão necessário milagre.

Este é o ponto. Como necessitamos e aguardamos grandes milagres, pelo menos sob o nosso ponto de vista. Deixamos passar os pequenos milagres. Acontecem diariamente. Temos sido alvos deles a cada dia. E justamente porque acontecem todo dia já não olhamos para eles como milagres. Repetitivos que são os colocamos na categoria de coisa comum, rotina. Ao fazermos isso perdemos a beleza e a profundidade da liturgia da vida.

Sabe aquela taça caríssima feita com o mais fino cristal? Aquela que você só se arrisca a usar numa data muito significativa e com líquidos igualmente caros e selecionados? Pois é, cada novo dia que o Pai nos dá é esta taça, no primeiro minuto do dia ela ainda está vazia, e então ela vai se enchendo para que possamos saborear e beber as dádivas diárias que o Senhor nos dá, milagres!

Quais milagres? Não acredito que você está perguntando! Acordar, levantar, mover pés e braços, ver, sentir, tocar, falar, ouvir, saborear, andar, correr, interagir, servir, produzir, dar, receber, perdoar, ser perdoado, sorrir, chorar, ajudar, ser ajudado, conquistar, compartilhar, dividir, multiplicar, perder, ganhar… a lista é interminável. São pequenos milagres diários que se combinam e permitem a nós mais um dia de vida antes do minuto final de cada um de nós.

“É um milagre a maneira pela qual Deus tem preservado seu livro durante tanto tempo! Como é bom e glorioso ter a Palavra de Deus!”, Martinho Lutero. Perfeita observação feita pelo antigo reformador. A preservação do livro de Deus se equipara aos grandes milagres que estão narrados neste mesmo livro. E vale lembrar, da fala de Lutero pra cá já se passou cerca de 500 anos e, apesar de todos os ataques, o livro continua preservado! Lutero ficaria feliz!!

Agora junte os milagres de cada dia, um livro, nossa conversão, nossa fé, nossa esperança. Somados são grandes milagres que estão presentes o tempo todo e pelos quais temos caminhado. E quanto aos grandes milagres? Como você, também os espero, também confio que Deus enviará socorro, maravilhas e escape. Mas não posso desprezar os pequenos, pois são milagres que eu jamais conseguiria realizar. Portanto, todo dia, ao acordar, agradeça e reconheça a intervenção de Deus possibilitando mais um tempo, e sem vacilar confie! Quem me dá o tempo e poupa meu tempo é Deus, enquanto isso, depois de horas, minha senha lá no Poupa Tempo foi chamada, Ufa! Milagre, presente!

Edmilson Ferreira Mendes é escritor, pastor, teólogo, observador da vida.

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame&Rádio Sinai

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.