O ex-porta-voz do Sinédrio diz que o Templo também era mantido pelas nações, ou seja, não só por judeus.

O Centro Educacional Mikdash, uma organização judaica em Jerusalém que atua nos preparativos para o Terceiro Templo, cunhou uma moeda de prata em um esforço prático para a reconstrução do templo. O projeto foi desenvolvido com o ex-porta-voz do Sinédrio, o rabino Hillel Weiss.

A moeda contém 10 gramas de prata pura e representa três vezes a quantidade do “meio shekel” de prata, uma moeda dos tempos bíblicos que era oferecida por homens judeus para a manutenção do Segundo Templo.

Weiss explicou que a cunhagem da moeda foi programada para coincidir com o início do mês hebraico de Adar, quando essas moedas foram coletadas para o templo. Atualmente, em março, o calendário hebraico está no mês de Adar.

Em entrevista ao Jerusalem Post, o rabino Weiss lembra que o pagamento do meio shekel era um costume judaico, mas hoje este projeto não se limite apenas aos judeus.

Weiss explica que o conceito de comércio era diferente nos tempos bíblicos — não se tratava apenas de troca de dinheiro, mas também de interação de valores sociais. “As 70 nações vinham ao templo em Jerusalém nas festas de peregrinação e interagiam. Elas expressavam sua dedicação aos valores comuns das Sete Leis de Noé (valores comuns que passaram a reger a humanidade)”, disse ele.

“Isso ajudava a estabelecer a base para um comércio saudável. Se não houver valores compartilhados, se um país permitir o roubo, a ilegalidade ou o derramamento de sangue, não pode haver comércio”, acrescentou o rabino.

Fazendo uma comparação com os dias atuais, o rabino avaliou: “O que temos agora é dinheiro virtual, controlado inteiramente por governantes que não temem a Deus, dinheiro virtual cujo valor é determinado pelas fantasias dos homens.”

O rabino acredita que o valor do dinheiro deveria ser baseado no ouro ou na prata, de acordo com o que é citado na Bíblia. “Este é o significado de ‘minha é a prata, meu é o ouro’”, disse ele em referência a Ageu 2:8.

Ele afirma que o “meio shekel de prata” era exigido dos judeus, mas o Templo também era mantido pelas nações, ou seja, qualquer pessoa “que procurasse fazer parte da Casa do Deus de Israel.”


Moeda do Templo, cunhada por ONG judaica. (Foto: Facebook/Mikdash Educational Center)

A moeda e sua simbologia

Weiss também mencionou que, segundo a crença judaica, “o templo em Jerusalém e um rei de Israel” devem ser estabelecidos “antes que a Guerra de Gogue e Magogue se materialize.”

Um dos lados da moeda apresenta uma coroa e o nome hebraico do rei Davi, simbolizando a dinastia do trono de Davi, que será estabelecida no final dos dias.

Há também imagens dos sete tipos de frutos e grãos, representando a bênção sobre Israel.

O termo “Tribunal do Sinédrio” também está gravado de uma face da moeda. O verso é gravado com uma imagem de peregrinos subindo ao templo e as palavras “Temple Coin” (“Moeda do Templo”) em inglês, hebraico e persa.

O ano 5782, ou equivalente a 2021, também está gravado na moeda.

Por ser parte de uma série limitada, cada moeda é numerada e vem com um certificado de autenticidade. As moedas podem ser compradas online.

Fonte: Guiame

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.