Junto com filantropo e um agente britânico, Hubert Pollack emitiu vistos para judeus escaparem da Alemanha.

Um herói anônimo que salvou 10 mil judeus dos nazistas teve sua história revelada apenas 63 anos depois.

Adi Daliot já estava na casa dos 60 anos quando descobriu que seu pai, Hubert Pollack, ajudou milhares de judeus a escaparem da Alemanha nazista durante os anos que antecederam o Holocausto.

Pollack jurou guardar segredo sobre a arriscada operação ao seu amigo Wilfrid Israel, um filantropo judeu anglo-alemão que foi seu parceiro no plano de resgate. Hubert manteve a promessa até sua morte. Só 35 anos depois, seu filho Adi descobriu um relato escrito do pai contando toda a história.

Durante a década de 1930, Hubert Pollack trabalhava em Berlim como estatístico para o governo alemão e também para o Keren Hayesod United Israel Appeal, onde gerenciava estatística para a comunidade judaica local.

Junto com Wilfrid Israel, um empresário rico e influente, e o Capitão Francis Foley, um agente da Inteligência do Reino Unido que trabalhava na embaixada britânica em Berlim, Pollack colocou em ação um plano para emitir milhares de vistos para judeus que queriam fugir do regime nazista.


Wilfrid Israel (no meio) participou do plano de Pollack para salvar judeus. (Foto: Cortesia Yonatan Nir/The Times of Israel).

Em uma operação arriscada, ele precisou subornar funcionários da Gestapo, a polícia secreta de Hitler, com dinheiro doado por Wilfrid. E o Capitão Francis emitiu vistos permitindo a entrada de judeus em territórios britânicos.

Foi assim que Pollack ajudou a salvar 10 mil judeus do Holocausto. Em agosto de 1939, um mês antes da Segunda Guerra Mundial explodir, Hubert saiu da Alemanha, junto com a esposa e filhos, incluindo Adi Daliot, e foi para o pré-estado de Israel.

Com a descoberta de seu ato heróico, Pollack irá receber postumamente o prêmio Jewish Rescuers Citation nesta quinta-feira (28), na Floresta dos Mártires nas colinas de Jerusalém, durante as homenagens do Dia da Lembrança do Holocausto em Israel.

O neto de Pollack, Ofer Daliot, contou que seu pai, hoje com 84 anos, esperou anos para ver os atos heróicos de Hubert serem reconhecidos e homenageados.

“Meu pai está chegando ao fim de sua vida, e ele tem lutado para escrever este histórico e construir reconhecimento para a família Pollack, então ele está muito animado que seu pai finalmente está recebendo reconhecimento”, disse Ofer Daliot ao The Times of Israel.

Criado em 2011 pelo Centro Mundial B’nai B’rith-Jerusalém e o Comitê para Reconhecer o Heroísmo dos Resgatadores Judeus durante o Holocausto (JRJ), o prêmio homenageia os heróis que salvaram judeus durante o regime nazista.

Fonte: Guiame

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.