“Nada mudou em minha fé e em minha convicção, mas de repente eu me tornei uma criminosa por causa desse ódio”, disse Päivi Räsänen.

Päivi Räsänen é uma parlamentar finlandesa que  tem sido alvo de investigação em seu país. Seu posicionamento cristão chamou a atenção das autoridades. Ela chegou a dizer que “acha um absurdo ser interrogada numa delegacia de polícia por causa de suas crenças”.

“Parece que estamos nos tempos soviéticos”, ela comparou. Depois de ser processada por seus pensamentos sobre o casamento e a sexualidade, ela chegou à conclusão de que “existe um ódio contra os valores cristãos, no mundo ocidental”.

Ela também alertou sobre a possibilidade de muitos cristãos serem censurados pela sociedade. Embora ela tenha sido inocentada das acusações de discurso de ódio, em março deste ano, sua batalha legal ainda não terminou.

Relembre o caso

Räsänen, de 62 anos, afirmou que dentro de suas crenças o casamento deve acontecer entre homem e mulher. Ela também citou a Bíblia ao tecer comentários sobre um evento LGBT.

Depois disso, o Departamento de Polícia de Helsinque abriu investigações sobre os comentários da parlamentar. Desde então, ela tem seguido em frente em defesa da liberdade religiosa.

Diante da possibilidade de enfrentar a prisão por até 6 anos, Räsänen tem se manifestado sobre a acusação, dizendo que a Finlândia pode se tornar um país onde os valores cristãos farão parte da vida de uma minoria.

Intolerância religiosa

“A mudança está sendo tão rápida que fica até difícil de entender o que está acontecendo”, ela disse.

Como esposa de um pastor luterano e ex-presidente dos democratas cristãos finlandeses, Räsänen acredita que os valores cristãos se tornaram um “alvo” no tribunal criminal.

O bispo Juhana Pohjola, da Diocese da Missão Evangélica Luterana da Finlândia, também foi acusado de discurso de ódio por publicar o livro de Räsänen.

A parlamentar reforça que não tem más intenções em relação aos homossexuais e disse que, possivelmente, aqueles que a acusam de praticar discurso de ódio são os que se interessam pelo ódio.

“Todos nós somos pecadores e precisamos de Jesus. Mas, o que vejo é que existe muito ódio contra os valores cristãos em nossa sociedade”, continuou.

“Se você fala sobre questões de gênero — que existem apenas dois — ou que o casamento pertence a um homem e uma mulher, isso desperta ódio contra você em nossa sociedade”, explicou.

“O mundo mudou”

Räsänen disse ao Christian Post que “nunca pensou que seria processada por expressar apoio a doutrinas cristãs clássicas sobre casamento e sexualidade”.

“Nada mudou em minha fé e em minha convicção, mas de repente eu me tornei uma criminosa por causa desse ódio”, disse ela. “Mas o mundo mudou”, destacou ainda.

Descrevendo a mudança cultural como “muito alarmante”, Räsänen acredita que os cristãos devem acordar para ver o que está acontecendo porque sua experiência prova que “é cada vez mais difícil” para os cristãos expressar sua fé publicamente.

“Temo que isso leve a algum tipo de autocensura. Se você for rotulado de cristão conservador, isso pode prejudicar sua carreira ou sua aceitação social”, concluiu.

Fonte: Guiame

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.