Não podemos negar que o poderio bélico da Rússia coloca o conflito como importante para o cenário escatológico.

A invasão da Ucrânia pela Rússia representa um forte sinal apontando por Jesus Cristo sobre sua vinda para buscar a Igreja.

Embora o cenário não envolva Israel diretamente, que para os teólogos representa o “relógio de Deus” para a Igreja, não podemos negar que o poderio bélico da Rússia coloca o conflito como importante para a Escatologia.

Antes de mais nada, devemos lembrar que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) tem demonstrado preocupação com a ofensiva de Vladimir Putin contra a Ucrânia.

A Otan é uma das mais importantes forças militares do mundo, pois reúne diversos países. Logo, os principais países do mundo fazem parte da aliança militar.

Ou seja, uma possível guerra entre Rússia e Otan envolveria todos os principais países do mundo, desencadeando uma Terceira Guerra Mundial.

“E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim”, disse Jesus em Mateus 24:6.

Rumores de Guerras

Jesus Cristo disse que os rumores de guerra seriam um presságio para o início do fim. Ou seja, significaria que Sua volta estaria mais perto.

No entanto, o mundo vive envolvido em guerras e conflitos. Logo, isso pode significar algo mais representativo, ou seja, uma guerra de maiores proporções.

Além disso, como dito anteriormente, Israel é a nação que devemos ter como “relógio de Deus”. Assim, o que acontece em Israel pode ter um peso escatológico maior.

“Nação se levantará contra nação, e reino contra reino. Haverá fomes e terremotos em vários lugares. Tudo isso será o início das dores”, Jesus disse em Mateus 24:7,8.

Existem diversas interpretações e linhas de interpretações sobre o capítulo 24 de Mateus, mas é inegável que os sinais descritos por Jesus Cristo dizem respeito ao fim dos tempos.

Fonte: GospelPrime

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.