Fiel escudeira do presidente Jair Bolsonaro (PL), a deputada federal Carla Zambelli (União-SP) apresentou projeto de lei para criminalizar a invasão de estabelecimentos religiosos.

Um dos fatos que motivaram a deputada foi a invasão de uma igreja em Curitiba (PR) no mês passado, por um grupo liderado por um vereador do PT.

O ato ocorreu ao final de um protesto contra o assassinato do imigrante congolês Moise Kabagambe, no Rio de Janeiro. O culto que ocorria no local foi interrompido pelos manifestantes.

O evento gerou forte reação nas redes sociais bolsonaristas. O ministro da Justiça, Anderson Torres, chegou a oferecer apoio ao governo do Paraná para que houvesse investigação do ocorrido.

O projeto de Zambelli prevê ainda punição para ultraje a culto, vilipêndio de objeto religioso, impedimento ou perturbação de culto religioso e à assistência religiosa.

A parlamentar menciona também, na justificativa para o projeto, o fechamento de templos e igrejas em 2020 e 2021, por causa da pandemia.

Ela faz ainda referência a uma suposta ideologia de esquerda contrária às religiões. Um exemplo seria o regime soviético, que levou “à demolição de igrejas, mesquitas e sinagogas, ridicularizando, perseguindo, encarcerando e executando líderes religiosos e cidadãos que se declararam cristãos”.

Fonte: Yahoo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.