perseguição religiosa enfrentada por cristãos em várias partes do mundo, não tem conseguido frear o avanço das conversões a Jesus Cristo. Desafiando até as barreiras geográficas e o medo de serem pegos, cristãos fiéis têm se batizado, mesmo secretamente, em diversos países.

Os relatos são da organização missionária Portas Abertas, que tem auxiliado presencialmente alguns desses cristãos. A norte-coreana Bon-Hwa, por exemplo, foi uma vitoriosa, após conseguir superar a repressão na Coreia do Norte para poder se batizar.

O batismo de Bon foi realizado em outro país, secretamente, que por motivos óbvios não teve o nome divulgado. Tudo aconteceu em uma casa mantida pelas Portas Abertas. A cristã, seu pastor e um líder de discipulado foram até o local, também em segredo.

“Às vezes, como no caso de Bon-Hwa, apenas três pessoas se reúnem; outras vezes, um pequeno grupo está lá para testemunhar esses marcos espirituais”, diz a Portas Abertas. A entidade explica que esses cristãos têm consciência dos riscos envolvidos na decisão de seguir a Cristo.

São fiéis de países como Coreia do Norte, Síria e Bangladesh, por exemplo. “Independentemente das circunstâncias, esses momentos santos são misturados com grande alegria e o conhecimento de que sua decisão de viver para Cristo provavelmente significará que eles também sofrerão por Ele”, diz a organização.

Os cristãos que se batizam secretamente, também sofrem com a perseguição religiosa entre os próprios familiares. Por causa disso, muitos retornam aos seus lares, porém, sem revelar qualquer informação sobre a fé em Jesus. Segundo a Portas Abertas, isso tem ocorrido com regularidade em pelo menos 60 países.

Os que se batizam, por outro lado, também se sentem vitoriosos devido ao gesto público de coragem. “Fazer uma declaração pública de sua decisão de seguir Jesus os fortalece, pois muitos retornam às famílias e comunidades que não celebram sua fé recém descoberta”, diz a organização.

Fonte: Noticias+

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.