A inconformidade de grande parte da sociedade com a falta de escrúpulos do filme Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola motivou os deputados da bancada evangélica a denunciarem o longa-metragem ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal. E o jornalista Augusto Nunes o classificou como “pornografia”.

O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), presidente da Frente Parlamentar Evangélica, anunciou que pedirá a reclassificação da faixa etária, estipulando uma idade superior à atualmente recomendada, que é 14 anos.

“Quero incentivar cada parlamentar a entrar com representação também nos Ministérios Públicos estaduais e na Vara da Infância e da Juventude porque não vamos nos silenciar com o absurdo e com a afronta desse filme”, criticou Cavalcante, de acordo com o jornal O Globo.

‘Pornografia’

O jornalista Augusto Nunes, da Jovem Pan News, comentou durante sua participação em Os Pingos nos Is que o filme, baseado no livro homônimo de Danilo Gentili, causa vergonha e perturbação.

“Não tem, realmente, a menor graça. É só uma pornografia de 5ª categoria. Se o [Fábio] Porchat acha que isso é pedagógico… teve o desplante de dizer que isso é para evitar o que aconteça o que o filme mostra e que eu também não vou, não posso, detalhar […] Eu vi o filme. O que eu sugiro é que ele mostre sempre para os garotos da família dele”, desabafou.

Nunes entende que o filme não é adequado para crianças e adolescentes: “O que ele mostrou foi uma coisa pornográfica. Esse Porchat.. é medonho o que se vê. Quem quiser ver o horror ali, veja. […] Não censuro nada. Podem exibir à vontade, mas eu continuo achando que vale aquela frase ‘tirem as crianças da sala’”.

No mesmo comentário, o jornalista rebateu o argumento do autor do livro e produtor do filme: “O Gentili diz que ‘eu quero desagradar bolsonarista e lulista’. Não tem nada a ver com política, isso aí. Uma questão ética, questão de decência. De preocupação com crianças”.

Em sua conclusão de raciocínio, Nunes não conseguiu esconder sua indignação: “Neste vídeo aparece o Porchat dizendo a duas crianças, pedindo que seja masturbado por elas. Tanto assim que a gente nem mostra o vídeo, por que pode ter crianças assistindo. O que vocês acham disso?”, questionou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.