C. Cristã Monte Sinai
C. Cristã Monte Sinai
Karmo Assessoria
Karmo Assessoria
Central Gospel Music
Central Gospel Music
Samuka Video
Samuka Video
Audiência
Hora Certa
Tempo Agora
Tempo Agora

Retrospectiva
Retrospectiva
Cristalina Lavanderia
Cristalina Lavanderia

Pastor é morto a facadas após protestar em defesa de escola cristã, no Sudão

Um pastor sudanês foi morto no início da semana enquanto participava de um protesto pacífico contra a tentativa do governo de apropriação de uma escola cristã. Younan Abdulla e parte da Igreja Evangélica Presbiteriana do Sudão (SEPC), participou do protesto de três dias depois que o comitê ligado ao governo autorizou, em 2016, a venda do terreno em que a escola está situada, sem o consentimento do instituto de ensino.

Um segundo membro da igreja, Ayoub Kumama, também sofreu ferimentos. Ele foi levado para o hospital, mas desde então não teve alta. A Igreja Bahri, na qual Abdulla era membro, está há muito tempo em disputa com uma comissão ligada ao governo, que quer comprar o terreno onde está situada a escola da SEPC.

Segundo relatos, cerca de 20 pessoas armadas com facas e outras armas atacaram os manifestantes, alguns dos quais estavam ligados à comissão que foi criada. A polícia pendeu apenas um homem.

De acordo com a organização Middle East Concern (MEC), Shamshoun Hamoud, membro do comitê, foi preso depois que testemunhas identificaram-no como a pessoa que esfaqueou o Sr. Abdulla. A MEC observou que não houve mais prisões, apesar de mais pessoas estarem envolvidas no ataque.

Cúmplice?

A Middle East Concern escreveu: “A polícia esteve presente, mas não conseguiu intervir para proteger aqueles que foram atacados, e também não ajudou Younan depois de ter sido esfaqueado”.

Antes deste ataque, a polícia havia capturado cristãos em protestos pacíficos na escola, incluindo o Sr. Abdulla e o diretor da escola no dia 16 de março. O funeral de Abdulla foi realizado na última terça-feira (4) deixando uma esposa e dois filhos pequenos. O culto contou com a presença de altos representantes das embaixadas dos EUA e do Reino Unido, informou a MEC.

Um porta-voz do escritório estrangeiro confirmou que a liberdade religiosa no Sudão “continua a ser uma preocupação para o Reino Unido”. A organização Christian Solidarity Worldwide (CSW) disse que a meta de Cartum para o SEPC era parte de sua campanha para “diminuir ou remover a presença cristã do Sudão”.

A CSW notou que o Tribunal Administrativo de Bahri rejeitou, na semana passada, um caso apresentado por 25 igrejas, desafiando uma ordem do governo para demolir seus locais de culto. As 25 igrejas pertencem a denominações, incluindo a Igreja Católica, Copta, Sudão de Cristo e Igrejas Pentecostais.

O assédio contra os cristãos se intensificou desde a secessão do Sudão do Sul em 2011, quando o presidente sudanês Omar al-Bashir prometeu adotar uma interpretação estrita da Sharia (lei islâmica) e muitos cristãos partiram para o país recém-criado.

Fonte: Guiame

Share This:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Redes Sociais
Redes Sociais
WhatsApp / Telegram
Confira
Twitter
Twitter
Instagram
Instagram
Participe ao vivo
Participe ao vivo
Aplicativo Radiosnet
Aplicativo Radiosnet

Get it on Google Play

Rádio Garden
Rádio Garden
Show de Rádios
Show de Rádios
O Rádio
O Rádio
Melhores Rádios
Melhores Rádios
Bastidores do Rádio
Bastidores do Rádio
Tudo Ràdio
Tudo Ràdio