Música fala sobre “amigo imaginário” que queima Bíblia e incentiva o ocultismo

0
41

Um clipe lançado recentemente está chamando a atenção de pais e educadores, devido à sua aparência “infantil”, porém com uma música de letra chocante.

Com cerca de 4.5 milhões de visualizações em pouco mais de um mês após seu lançamento, o clipe traz uma mensagem um tanto tenebrosa, contando a história de um garoto que tem um tipo de “amigo imaginário” chamado Bob e conta aos pais o que ele diz e faz. A letra da canção tem alusão ao aborto, uso de drogas, adultério, violência e até ocultismo.

Já no início da música, o garoto confessa que o Bob de certa forma “possui” seu corpo, se recusa sair e ainda quer manter o menino afastado dos pais.

“Ele não quer sair de mim / Já achou sua morada aqui / Ele quer que você vá embora / Bate a porta do meu quarto / E nunca mais tente essa porta abrir / Ele não quer sair de mim”, diz o início da música.

Em outro trecho da música, o garoto diz que seu amigo imaginário lhe conta que é “menininho corrompido, filho de um anjinho caído, que inverte o crucifixo”.

“Meu amigo Bob diz / Que é um menininho corrompido / E toda vez que se acende a luz do quarto / Fica espantado, por isso todo esse caco de vidro / Bob diz que é filho de um anjinho que foi caído / E toda vez que se acende a luz do quarto / Fica espantado, por isso ele inverte o crucifixo / Ele não quer sair de mim”, diz a música.

“Ele não quer sair de mim / Já achou sua morada aqui / Ele rabisca meu braço com desenhos estranhos / Queima a bíblia e outros santos / E diz que nenhum querubim encostará em mim”, diz outro trecho.

Ainda em outro trecho também um tanto assustador, o garoto conta que Bob usa de violência – se for preciso – para afastá-lo dos pais. Neste trecho, é possível até ouvir uma voz de fundo, indicando uma intenção demoníaca, repetindo a última frase.

“Ele não quer sair de mim / Já achou sua morada aqui / Ele pega a espingarda do papai que ele guarda no armário / Mira pra porta do quarto e diz / Ninguém vai entra aqui”, diz a letra.

A letra tenebrosa é de autoria do cantor e compositor Kamaitachi. Em seu canal oficial do Youtube, o músico tem outras faixas publicadas, com títulos e temas também assustadores, como “Manual do Suicídio” e “Noiva Cadáver”.

Na publicação do clipe de “Bob”, o cantor parece alertar os internautas sobre o conteúdo possivelmente ofensivo da letra, porém diz que aqueles que se ofendem são “pessoas sensíveis”.

“Na música “Bob” foram usadas palavras que podem causar desconforto em pessoas mais sensíveis. Estas citações foram feitas apenas para fins artísticos, caso tenha se sentido ofendido(a), saiba que essa não foi a intenção”, diz o cantor na descrição do vídeo.

Alerta aos pais

Em uma publicação no Facebook, o pastor e escritor Renato Vargens publicou um alerta aos pais, especificamente sobre a música “Bob”, que se tornou viral nos últimos dias nas redes sociais.

“A ‘música do Bob’, com aproximadamente cinco milhões de visualizações no Youtube e que possui um ritmo envolvente, tornou-se hit nas redes sociais nos últimos dias. Mas o que ‘Bob’ tem de diferente de outras músicas para atrair tanta audiência? A resposta é simples : a canção trata um amigo imaginário com ênfase em suicídio, drogas, assassinato, adultério e ocultismo”, comentou o pastor.

“Ademais, a letra é depreciativa com a figura dos pais, trata de aborto, foca numa mãe que usa antidepressivos, um pai que consome cocaína, adultério, e outras coisas mais. Diante do exposto aconselho aos pais”, acrescentou.

O pastor finalizou sua publicação, dando alguns conselhos práticos aos pais sobre como agir com seus filhos diante dessa música:

1-) Estejam atentos aquilo que seus filhos estão ouvindo na internet.

2-) Não permitam que seus filhos ouçam essa música.

3-) Se por acaso eles já ouviram, conversem a respeito dela com eles e desconstruam em sua mente toda malignidade por ela produzida.

4-) Ore por e com seus filhos.

Assita o Video:

Fonte: Guiame

Share This:

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.